Compartilhe este conteúdo:

Para dar início a essa discussão é importante entender o que é a Arquitetura de Segurança. De forma geral, o termo possui significados diferentes de acordo com o contexto em que está inserido.  

Um dos significados mais usados é o que se refere a elementos de segurança de diversos domínios, entre eles estão a arquitetura empresarial, desenho técnico, estrutura organizacional e modelos de políticas.   

Qual a importância de uma arquitetura de segurança bem estruturada em empresas? 

É crescente o número de crimes e desastres virtuais que envolvem dados pessoais e corporativos. Dessa forma, as empresas precisam investir em uma boa arquitetura de segurança. Afinal, com um bom planejamento, é possível minimizar os riscos e prejuízos, o que garante mais consistência para o negócio. 

Em resumo, um dos principais objetivos da Arquitetura de Segurança é evitar substancialmente as perdas e riscos para o negócio em decorrência de ataques cibernéticos, falhas de colaboradores sem treinamento ou até mesmo pessoas mal-intencionados. Sendo assim, só a política e treinamentos para usuários não são suficientes para uma proteção efetiva.  

Pense em arquitetura de forma diferente

Em primeiro lugar, a sua organização ainda faz desenhos de redes como os famosos firewalls, interligados com roteadores, escritórios e endereços de rede lan/wan?

Veja como o método antigo não é simples: 

Uma arquitetura  de segurança funcional é aquela que aborda aspectos como o fator humano, dispositivos, redes e aplicativos. 

Dessa forma, entender com nitidez todos os fluxos de negócios, desde os processos simples, como a autenticação de usuários que estão trabalhando de forma remota, ajudará a aplicar controles de segurança para manter uma empresa segura. 

Pois seus dados fluem dos escritórios para a cloud, e você deve entender onde seus dados estão para protegê-los. 

Arquitetura de segurança e processos de negócio

Fluxo de processo de negócio para a autenticação de pagamento

É preciso garantir a segurança em toda cadeia de comunicação. Sendo assim, entre essa precaução estão as de: 

  • Analisar se é realmente o usuário autorizado quem está acessando os recursos da empresa; 
  • Se os dispositivos estão seguros e não estão infectados; 
  • Se as redes locais e wifi não foram comprometidas; 
  • Se as aplicações estão atualizadas e quais serviços estão vulneráveis e podem ser explorados por um ciberataque. 

Por que investir em Arquitetura de segurança? 

Arquitetura de Segurança deve ser parte dos processos de negócio de uma organização.  Dessa maneira, ela irá garantir que os profissionais de segurança sejam capazes de identificar de forma rápida algum comportamento estranho e responder em questão de segundo às ameaças.  

Ao investir em uma Arquitetura de Segurança bem estruturada é possível: 

  • Reduzir a velocidade dos ataques;  
  • Diminuir a superfície de ataque; 
  • Reduzir o tempo de remediação;  
  • Facilitar a disponibilidade dos dados e o processamento de recursos para prevenir ou conter ataques que buscam limitar os recursos da empresa.  

Uma boa Arquitetura de Segurança inicia-se com o entendimento de que diferentes fluxos de comunicação requerem diferentes camadas de proteções, ou seja, as proteções aplicadas para a equipe de RH nem sempre são as mesmas aplicadas à equipe de TI. E para auxiliar no mapeamento deste fluxo, utilizamos a metodologia do SAFE. 

Como funciona o SAFE? 

Em síntese, o SAFE é um modelo de referência de segurança. É uma abordagem como um jogo de blocos para melhores práticas de segurança.  A Cisco, através do SAFE, propõe uma metodologia agnóstica que oferece uma orientação sobre o que precisa ser estruturado de forma assertiva na arquitetura de segurança da sua empresa.  

 

Entre em contato!