Compartilhe este conteúdo:

Atualmente, a operação da maioria das empresas depende de uma área de tecnologia da informação bem estruturada. Se há alguns anos a mesma era vista como técnica e pouco participativa, a partir da transformação digital, passou a ocupar um lugar cada vez mais estratégico. Nesse contexto, as funções do setor também se ampliaram, envolvendo aspectos como gestão de aplicações, segurança da informação e infraestrutura de TI.

Trata-se de papeis diferentes dentro do mesmo departamento, o que exige a atuação de especialistas com qualificações específicas. Todavia, como se sabe, ter uma grande equipe interna pode se tornar inviável para grande parte dos negócios. É para atender esse tipo de demanda que existe o outsourcing, que consiste em serviços terceirizados e realizados sob demanda.

Quando relacionado à infraestrutura interna isso não é diferente. Ou seja, é possível garantir a continuidade dos processos, a inovação e a estruturação adequada por meio da prestação de serviços de alta performance.

Os principais componentes de uma infraestrutura de TI

A infraestrutura de TI de uma organização é composta por todo o seu inventário físico e virtual, ou seja, equipamentos, sistemas, redes e serviços necessários à operação. Veja mais detalhes sobre cada um deles:

Hardwares e softwares

Enquanto os hardwares consistem nas máquinas e dispositivos físicos, como computadores, mouses, celulares e impressoras, os softwares são os programas instalados em cada um deles, como sistemas de gestão, aplicativos, CRMs, ERPs, entre outros.

Redes e servidores

Dentro de uma infraestrutura de TI, servidores e equipamentos formam uma arquitetura denominada cliente-servidor, o qual fornece acesso centralizado a dados, informações e recursos armazenados dentro de uma rede, bem como sistemas de roteamento.

As redes, por sua vez, consistem em um grupo de hardwares e softwares ligados entre si através de canais de comunicação, que facilitam o acesso e o compartilhamento de recursos entre diversos usuários.

Armazenamento e segurança

O armazenamento nada mais é do que o arquivamento de dados e informações, seja em servidores internos ou na nuvem, o que inclusive é uma tendência em organizações de todo o mundo.

Já a segurança está relacionada à sistemas de proteção de dados, recursos de backup e recuperação de desastres, entre outras soluções tecnológicas com foco em manter dados e sistemas protegidos contra o acesso de usuários não autorizados, além de garantir a continuidade dos processos mesmo em situações de crise.

Por que sua empresa precisa investir em uma gestão de infraestrutura?

Para manter a infraestrutura de TI em perfeito funcionamento, é imprescindível priorizar uma gestão eficiente. Afinal, são diversos elementos a serem pensados, o que inclui estratégias que garantam a alta performance, na mesma medida em que há minimização no desperdício de recursos.

Em uma realidade em que as organizações precisam fazer “mais com menos”, os processos devem estar muito bem estruturados, já que do contrário os prejuízos podem ser incalculáveis. Para se ter ideia, um estudo da consultoria Forrester, apontou que apenas uma hora de inatividade em sistemas pode ocasionar despesas inesperadas, as quais variam entre 10 a 1 milhão de dólares.

O mesmo levantamento também mostrou que 34% das companhias passam por downtime diariamente, enquanto 42% delas demora entre uma hora e uma semana para identificar a origem do problema e 60% precisa envolver de 4 a 10 colaboradores para executar as tarefas necessárias.

Dados como esse mostram como a falta de um gerenciamento assertivo pode comprometer os processos de uma empresa. Ou seja, é essencial atuar proativamente e preventivamente para que os sistemas, aplicações e equipamentos funcionem conforme as expectativas e impulsionem os bons resultados. Como é de se imaginar, essas ações devem ser executadas por parceiros especializados e competentes.

Conheça os modelos mais populares de Gerenciamento de Serviços de TI (GSTI)

O Gerenciamento de Serviços de TI (GSTI), ou IT Service Managment, visa prover serviços de tecnologia da informação com qualidade e alinhada as demandas das organizações, buscando uma performance positiva, aliada à redução de custos a longo prazo. Os modelos mais utilizados pelos negócios são:

COBIT

O COBIT, sigla para Control Objectives for Information and related Technology,  é um framework de boas práticas, que tem o objetivo de criar uma estrutura capaz de fornecer governança de TI. Funciona a partir da aplicação de diversas práticas de controle da informação, que vão desde o planejamento até o monitoramento de resultados.

ISO20000

A ISO 20000 é uma norma internacional direcionada ao gerenciamento de serviços de TI. Ela enumera uma série de processos integrados de gestão, proporcionando a entrega efetiva de serviços para empresas e clientes.

MOF

O MOF é um modelo pró-ativo, composto pela união entre melhores práticas, princípios  e tarefas. A meta é alcançar uma maior confiabilidade para os serviços e soluções oferecidas pela equipe de TI em uma empresa, auxiliando na tomada de decisão.

ITIL

ITIL, sigla para Information Techonology Infrastructure Library, engloba o conjunto de ações detalhadas para o gerenciamento da infraestrutura de TI. Em linhas gerais, é um modelo que se adapta a diversos tipos de companhias, com diferentes demandas e níveis de maturidade.

Insourcing x Outsourcing: qual é o melhor para sua empresa?

Como citamos, gerenciar uma infraestrutura de TI envolve a contratação de profissionais especializados, o investimento em hardwares e softwares, entre outros recursos que garantam o bom desempenho operacional, manutenção e atualização de redes, servidores e demais equipamentos.

Quando essas tarefas são feitas internamente, dá-se o nome de insourcing. Nesse caso, todas as funções são de responsabilidade da empresa, bem como as despesas envolvidas. Fato é que, apesar de a organização ter o controle total dos seus ativos, o orçamento em muitos casos torna essa meta inviável.

Por isso, contar com parceiros especializados, os quais ofereçam soluções sob medida, tem sido a estratégia de boa parte das organizações. Entre os motivos para isso estão a otimização operacional, a dedicação ao escopo principal, segurança, escalabilidade, flexibilidade e economia de tempo e dinheiro.

Como o outsourcing de TI facilita a implantação e gerenciamento da sua infraestrutura?

Pelo que mostramos até aqui, você pôde ter uma noção das vantagens em contar com empresas especializadas na gestão da infraestrutura de TI. Fato é que outsourcing traz customização, manutenções em dia e agilidade na correção de falhas e problemas, a fim de garantir a disponibilidade da infraestrutura.

Com o auxílio de especialistas na área, os quais monitoram integralmente todos os sistemas, aplicações e equipamentos, há uma gestão técnica e centralizada, a qual garante a atualização constante do inventário, bem como sua conservação e segurança.

Além disso, os melhores fornecedores do mercado oferecem serviços escaláveis, que acompanham o crescimento dos negócios.

Descubra como a Teletex ajuda no desenvolvimento do seu negócio

A Teletex é uma empresa especialista em outsourcing de TI que, por meio de diversas soluções, torna a área mais eficiente, ao mesmo tempo em que libera os clientes para que se concentrem no core business do negócio.

Os serviços envolvem os mais variados processos de TI, como data center, cidades inteligentes, gerenciamento de dispositivos, inovação, performance de aplicações, segurança física e lógica, entre outros.

Com mais de 30 anos de experiência no mercado e com acompanhamento especializado em todas as inovações pelas quais a TI vem passando. A Teletex consegue auxiliar os negócios a encontrarem as melhores soluções para suas necessidades.

Gostou do conteúdo sobre infraestrutura de TI? Como acontece a gestão da área em seu negócio? Ficou interessado em saber mais sobre outsourcing? Entre em contato conosco!